LAS CAMALEOAS

acreditamos muito no compartilhamento de ideias e fortalecimento de redes. por isso, se quiser falar com a gente é só mandar um alô por aqui: fale com a gente.

se estiver por Santa Catarina, podemos marcar de conversar (adoramos compartilhar café e vinho no nosso cantinho).

e ainda, se quiser receber as atualizações do que estamos postando por aqui, deixa seu e-mail na caixinha ao lado. vamos adorar manter contato!

VAMOS FORTALECER NOSSO CONTATO?

© 2019 | LAS CAMALEOAS. Santa Catarina, Brasil.

MULHERES FAZENDO ARTE

Atualizado: 10 de Ago de 2019

2017 chegando ao fim e enquanto Balneário Camboriú não enchia de turistas, aproveitamos para sair de casa e tomar um café da tarde - coisa que a gente realmente gosta. Sem saber o que seria de 2018, computadores a postos para registrar possíveis ideias. Depois de fazer o nosso pedido de costume - um pão na chapa com manteiga e uma fatia de bolo de cenoura pra dividir, junto de um café para cada uma - nos olhamos, sorrimos e desviamos o olhar a pensar em silêncio. Quais as nossas vontades de expressão artísticas? O que queremos falar, movimentar?


Beatriz quebra o silêncio com uma frase mais ou menos parecida com essa: “e se nós produzíssemos um evento artístico?”. O silêncio retorna com olhares arregalados e ela continua: “e se nós produzíssemos um evento artístico só com mulheres?”.


"Uma mostra

De artes integradas

Dança - música - teatro e artes visuais

Mulheres Fazendo Arte"


O “camaleoa" demorou um pouco mais pra surgir. Não foi na primeira tarde que sentamos junto da Jade, que trabalha com a gente na produção, que conseguimos chegar nele. Nem na segunda. Cartazes, canetinhas coloridas, desenhos. A dedicação foi intensa, mas nada nos agradava. Sempre parecia que poderia ser melhor, mais instigante, mais abrangente, mais.


“E se ouvíssemos músicas?”


Continuamos as nossas pesquisas individuais no letras.com e nem havia mais tempo para pensar. Chegou o dia de mandar o projeto, até o momento intitulado “Mostra XXX - Mulheres Fazendo Arte”.

Depois de muita música popular brasileira, Thaina veio com o “camaleoa”, termo não encontrado no dicionário por só existir “camaleão fêmea”. Novas informações foram aparecendo e reforçando que camaleoa expressava muito bem o que queríamos propor.

A pele da camaleoa possui bastante queratina, o que apresenta uma série de vantagens - em especial, a resistência.

Flexibilidade. Adaptabilidade.


Em outubro o projeto saiu do papel. Recebemos mais de trinta artistas na cidade e vivemos quatro dias intensos de muita produção artística. O evento aconteceu estrategicamente entre o primeiro e o segundo turno das eleições que viriam a colocar no poder um governo que ataca diretamente a arte no país. Quando acabou estávamos exaustas, porém fortalecidas pelas experiências compartilhadas.


Mais um verão chegou, dividindo 2018 e 2019. Dessa vez estávamos longe de Balneário, no frio de Lisboa, onde fomos estudar um pouco de dança. De outubro até esse momento havíamos fortalecido as ideias e propostas da Mostra Camaleoa e a adaptabilidade sempre se manteve muito presente. Dessa vez, já não tínhamos mais dúvidas sobre o nome, colocamos o II na frente pra identificar a segunda edição e escrevemos um projeto incluindo as potências e transformações que a Mostra Camaleoa queria trazer, diante das necessidades que sentimos após a primeira edição do evento. Conhecemos mais mulheres artistas e optamos por focar no trabalho de cada uma delas e no máximo que poderiam dividir com o público.



A segunda edição vai acontecer nos dias 16, 17 e 18 de agosto.


Conheça mais da Mostra Camaleoa:

www.lascamaleoas.com/mostra-camaleoa


Confira a programação de 2019 aqui:

www.lascamaleoas.com/agenda

119 visualizações